Azeite no Brasil? A realeza disse não

azeite

De azeite brasileiro a gente quase não ouve falar, mas ele existe sim. Pouco, mas existe. Estima-se que cerca de 2.000 hectares de oliveiras sejam cultivados hoje, no Rio Grande do Sul, São Paulo e Minas Gerais.

Isso, portanto, contraria a afirmação de que nossos solo e clima não são propícios à cultura dessa árvore. Curioso é entender como foi que essa ideia infundada foi plantada em nossa cabecinha tupiniquim.

Foi assim: no Brasil colônia, europeus trouxeram para cá mudas de oliveiras, que eram plantadas principalmente nas proximidades de igrejas e capelas, por causa do simbolismo cristão da planta — lembra aquela coisa bíblica de jardim das oliveiras e tal, né?
Então: as arvorezinhas começaram a dar que era uma beleza e aí começou-se a produzir azeite por aqui. Mas, quando a corte portuguesa soube da novidade, não ficou nada satisfeita.

A preocupação era que a colônia se tornasse um concorrente de Portugal, que começou a produzir azeite no século 13 e, pouco depois, já exportava o produto para os países do norte europeu.

E como quem mandava na coisa era mesmo a família real, achou-se por bem mandar derrubar tudo quanto era oliveira que havia nas terras do pau-brasil. Ou seja, o “mal” foi cortado, literalmente, pela raiz e não se falou mais nisso.

A planta só voltou a ser vista por aqui a partir de 1945, por conta dos imigrantes europeus que vieram para cá fugindo da Segunda Guerra Mundial. E aí, aos poucos, a produção foi sendo retomada.
A boa notícia é que a produção nacional de azeites tem tudo para deslanchar nos próximos anos, avalia Nilton Oliveira, presidente da Associação dos Olivicultores do Contraforte da Mantiqueira (Assoolive). “Temos mercado para isso. Hoje, ainda fazemos pouco, serão 100 mil litros em 2017, metade de fazendas da Serra da Mantiqueira, metade do Rio Grande do Sul”, afirma.

“Mas devemos dobrar a produção para o ano que vem, pois as plantações são novas e leva tempo para fazer a colheita das olivas”, acrescenta. O presidente da Assoolive estima que existam 2 mil hectares ocupados por oliveiras na Serra da Mantiqueira – desses, 80% estão em Minas Gerais e o restante em São Paulo. Porém, cerca de 30% das árvores plantadas ainda não começaram a produzir fruto.

Jornalista

Jornalista paraibano radicado em Brasília. Há 30 anos, trabalha com jornalismo cultural e, mais recentemente, com os assuntos de gastronomia. Passou pelas redações do Jornal de Brasília, Correio Braziliense, Jornal da Paraíba, Veja Brasília e site Metrópoles. É autor do livro O Fole Roncou, finalista do Prêmio Jabuti em 2013. Atualmente, também é editor do Boníssimo (link para bonissimo.blog), blog que aborda assuntos de cultura, diversão e ações positivas. Está no Gastronomix desde sua criação em 2009.

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.