Um amor chamado Masala Chai

Masala Chai

Muitas são as versões relacionadas ao surgimento do Masala Chai, a bebida mais tradicional da Índia, e uma das minhas favoritas da vida. Com base em uma mistura (este é o significado de masala!) de chá preto e especiarias, à qual se acrescenta leite e açúcar, traz em si a identidade de uma terra diversa, de sabores exóticos e aromas marcantes. Depois de bebê-la em terras indianas, o país jamais terá outro gosto… Ao menos em nossas memórias!

Dizem que, de início – bem de início mesmo, desde 500 d.C -, os indianos se serviam de leite misturado às especiarias, por propriedades bem específicas, com base na Ayurveda, a medicina milenar local; com a colonização e exploração inglesa e o cultivo da Camellia Sinensis em terras indianas, o chá foi acrescentado à misturinha mágica, que se tornou ainda mais especial. O Masala Chai passou então a fazer parte da própria cultura, consumido no café da manhã e ao final do dia, para dar energia e também proporcionar relaxamento; oferecido em casa e também a cada esquina, servido pelos “Chai Wallahs”, os vendedores de chá. Passou a fazer parte do roteiro turístico-gastronômico, de forma obrigatória.

Não há, inclusive, uma receita específica para o preparo; tudo depende da região consumidora, das preferências familiares, dos ingredientes disponíveis. E é uma delícia provar e descobrir todas essas variações! Para ser Masala Chai, é necessário que, na mistura prévia, haja chá preto e especiarias. Em uma segunda etapa, a mistura deve ser preparada com leite, de preferência integral, adoçada ao servir.

A minha mistura ideal, depois de muita experimentação, tem chá preto brasileiro, produzido na região de Registro pela família Amaya, ao qual acrescento canela, cravo, cardamomo, anis estrelado e pimenta-da-jamaica; trituro ou amasso todas as especiarias, para que os óleos essenciais sejam extraídos e aportem bastante sabor às folhas de chá, que adoram “roubar” aromas e sabores de “vizinhos”

Com o passar do tempo, os aromas ficam mais intensos, por isso, a minha mistura só é utilizada a partir do sétimo dia de existência. Na panela, antes de qualquer coisa, preparo, a partir do açúcar mascavo, um caramelo para, depois, acrescentar o leite (não diluo em água, gosto dele bem grossinho mesmo!) e a masala (chá e especiarias). Espero levantar fervura para desligar o fogo, abafo por cinco minutinhos e… Momento mágico! Depois de coado, é só servir. Comparável a um abraço de avó, daqueles beeeeeeeeeeem quentinhos. Vai por mim!

No site “Panelinha”, encontrei uma receita de Masala Chai, que rende duas porções, caso você queira tentar se aventurar no preparo com algum ponto de partida. Mas o legal mesmo é tentar achar o sabor que tenha a sua cara, na tentativa e erro mesmo. Se tomar chá já é, por si, um ritual de autoconhecimento, imagine como pode ser divertido criar uma misturinha a partir de suas preferências, com a sua personalidade?

Masala Chai, versão Panelinha

Ingredientes
– 1 ½ xícara (chá) de água
– ½ xícara (chá) de leite
– 2 saquinhos de chá preto
– 6 grãos de pimenta-do-reino
– 2 ramas de canela
– 4 bagas de cardamomo
– 4 cravos-da-índia
– ½ colher (chá) de sementes de erva-doce
– ½ colher (sopa) de açúcar mascavo

Modo de preparo
– Com uma faquinha para legumes, corte as pontas e abra as bagas de cardamomo. Transfira as sementes para uma panela pequena e junte todos os ingredientes, exceto o chá preto. Misture e leve ao fogo médio.

– Assim que ferver, desligue o fogo e adicione os saquinhos de chá preto. Tampe a panela e deixe em infusão por 5 minutos. Coe o chá e transfira para uma chaleira. Sirva a seguir.

Com chá em folhas soltas a mistura costuma ficar mais gostosa, tá? E veganos podem usar leite vegetal, funciona bem com o de amêndoas ou com o de castanha. A mãe de um grande amigo, tia Anamaria Poggio, também me deu uma dica supimpa: colocar uma folha de laranjeira no leite, durante o tempo de descanso, os tais cinco minutinhos. O cheiro que se espalha pela casa é di-vi-no!

Agora é a sua vez de me dizer. Já experimentou Masala Chai? O que achou? Tem alguma receitinha própria? Não se esqueça de compartilhar suas experiências chazísticas comigo, aqui ou pelas redes sociais, no Instagram (@chazeira) ou na página do Facebook (Chazeira – Eloína Telho). Vamos nos encontrando de todo jeito, para não morrermos de saudades até a próxima quinta, ok?

Um beijo bem aromático, para perfumar a casa toda!

Especialista em chás

Se tiver chá, lá ela estará! Apaixonada pelo mundo dos chás e tudo o que com ele se relaciona, de porcelana a livros, de lugares a receitas, de comidinhas a experiências. Acredita que a xícara perfeita é capaz de criar momentos mágicos; a eles se entrega com toda a sua verdade... E eterna curiosidade! Especialista em chás e tea blender por paixão, servidora pública por profissão. Em Brasília/DF.

2 Comentários

  1. Uau o meu predileto! Delícia! Excelente texto.

  2. Simplesmente adorei !!! 😍

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.