Tabacaria Africana: onde Lisboa e Luanda se encontram

tabacaria1

No Centro do Rio, as almas de Lisboa e Luanda se encontram sob o sol das Américas, nas igrejas barrocas construídas com o sangue de escravos anônimos e na cor dos olhos e da pele das gentes. Respira-se história em cada esquina.

À beira da baía, na Praça XV, o toque do sino da Igreja de Nossa Senhora do Carmo da Antiga Sé nos recorda regularmente de nossos pecados. Foi ali que o príncipe português avistou assustado a nova capital de seu império, que os brados da multidão pediram ao seu filho para aqui ficar, e que todos sentiram a tristeza de seu neto ao partir para o exílio.

Na praça, o antigo Largo do Carmo, ecoam ainda os gemidos dos africanos acorrentados e o lamento do alferes insurgente nos últimos instantes de sua vida.

Sobrevive ali também, num dos meus cantos favoritos do Rio, a Tabacaria Africana, fundada em 1846. Trata-se, caro leitor, de um oásis de paz em pleno caos da cidade.

Sou, confesso, um apaixonado por charutos. Fumo mais do que deveria, certamente. Mas a hora de acender um puro à noite em casa tornou-se um ritual para mim. É o momento de relaxamento por excelência, que combina de forma esplêndida com música, um bom livro e algo forte para beber.

Mas tente o leitor hoje em dia acender um charuto em algum lugar público! Aquele que se arrisca é fulminado por olhares críticos, tosses forçadas e outras recriminações menos sutis. A patrulha é implacável! Vem daí minha admiração por locais como a velha Tabacaria Africana.

O lugar é simples, frequentado por habitués e oferece uma boa seleção de charutos, com especial destaque para os puros brasileiros. Possui ainda um bar, com mesas num salão interno e na calçada com vista para o Paço Imperial. Pedro II, Getúlio Vargas e Juscelino Kubitscheck foram clientes da casa.

A Tabacaria Africana é um resquício daquele Rio Capital, que nunca deveria ter deixado de existir. É, sem dúvida, um de meus lugares do coração para um tarde preguiçosa no Centro da minha cidade.

AVALIAÇÃO
Comida: n/a
Ambiente: 7/10
Serviço: 8/10
Carta de vinhos: O forte ali é a seleção de whiskies e cervejas
Preços: Médios

Dica extra: Uma das coisas que mais me irritam no mundo dos charutos são os pretensos “especialistas”, que criam milhões de regras diferentes sobre como você deve apreciar um puro e acabam assustando aqueles que querem conhecer melhor esse hábito. Fujam deles! Uma boa e confiável fonte de informação é o pessoal da revista Cigar Aficionado. Cliquem aqui (https://m.youtube.com/user/cigaraficionadovideo) e conheçam o canal deles (em inglês) no YouTube.

TABACARIA AFRICANA
Praça Quinze de Novembro, 38 – Centro, Rio de Janeiro
Telefone: (21) 2221-3921
Site: www.tabacariaafricana.com.br/

 

 

Editores, colaboradores e convidados do portal Gastronomix.

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.