Jobi, boteco de verdadeira alma carioca

jobi

Sempre que os amigos faziam a clássica pergunta “onde vamos hoje à noite?”, durante anos minha resposta era a mesma: que tal aquele vermelhinho novo que abriu no Leblon? A brincadeira fazia referência a uma de minhas obsessões pessoais, quase um segundo lar durante boa parte de minha vida, o Jobi.

Frequento o Jobi desde os 16, 17 anos de idade (já são mais de 30 anos de história na casa…) e o considero, na minha modesta e absolutamente parcial e apaixonada visão, o boteco carioca por excelência. Por várias razões. Em primeiro lugar, por conta daquela mistura luso-brasileira tão típica da cidade, combinando bacalhau, feijoada e carne seca no seu extenso cardápio.

Depois porque ele está situado em pleno Baixo Leblon, aquela região mítica da boemia carioca. O Baixo, como todos chamamos numa intimidade carinhosa, é palco de casas eternas, ainda que desaparecidas, para várias gerações. Já prometi escrever uma coluna sobre só esses lugares históricos e pretendo cumprir minha promessa brevemente.

E finalmente porque, como acontece em todo boteco carioca que se preze, o Jobi tem sua cota de garçons celebridades, conhecidos por todos e famosos na cidade. O mais reconhecido de todos foi o Paiva, uma grande figura da noite do Rio, infelizmente já aposentado.

O Paiva foi um cara tão importante numa época de minha vida que, durante a temporada em que morei em Buenos Aires, mantive uma foto tirada com ele e uma namorada num porta-retratos na sala do meu apartamento. Era meu símbolo da saudade pelo Rio.

Hoje, sou um frequentador vespertino do Jobi. Adoro almoçar lá numa tarde preguiçosa. Muitas vezes ficamos só nos imbatíveis petiscos da casa, ao invés de pedir um prato. Os bolinhos de bacalhau e as empadinhas de camarão são quase um vício, acompanhadas de um chope perfeito, com colarinho na medida certa.

No passado, vivi muitas madrugadas naquela varanda mágica. Trago-as todas num lugar especial no coração. Salve o Jobi, um boteco de verdadeira alma carioca!

AVALIAÇÃO
Comida: 8/10
Ambiente: 9/10
Serviço: 8/10
Carta de vinhos: É um lugar de chope por excelência, mas oferece algumas opções de vinho, especialmente portugueses.
Preços: Caros para o padrão dos botecos cariocas.

Dica extra: O Jobi é um bom lugar para qualquer tipo de comemoração. Uma das noites mais interessantes que passei por lá, junto com minha mulher e queridos amigos argentinos, foi a em que um grupo saiu direto de uma missa de sétimo dia e trouxe para o bar a urna com as cinzas do falecido. Soube depois que o morto era um assíduo do Jobi e havia pedido expressamente para que todos se reunissem ali para celebrar sua memória. Quero uma homenagem igual!

JOBI
Rua Ataulfo de Paiva 1166
Leblon – Rio de Janeiro
Telefone: (21) 2274.0547

Editores, colaboradores e convidados do portal Gastronomix.

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.