A autêntica caipirinha nacional. Aprenda a fazer

caipirinha

Caipirinha é, com certeza, a bebida mais famosa do Brasil. E uma das mais apreciada por toda a população brasileira –  um orgulho nacional. O que gostaria de compartilhar com vocês é que apesar de parecer simples tem seus segredos em seu preparo para que tenha equilíbrio e sabor.

Caipirinha, caipiroska ou sakerinha (depende do gosto de cada um por cachaça, vodka ou sakê), a autêntica é feita com a cachaça brasileira. Uma curiosidade é falar sobre a técnica de preparo da mesma: no copo ou na coqueteleira.

O método tradicional é o “montado” – preparo no próprio copo como é feito o Mojito por exemplo. Mas em cada cidade do brasil e em cada bar isto se diversificou dependendo do bartender e do clima da cidade.

No Rio de Janeiro, por exemplo, nos quiosques de praia, a caipirinha é preparada na coqueteleira. Talvez pelo tempo quente e astral praiano os cariocas tenham optado por esta técnica para deixar a bebida mais gelada rapidamente. Em minha opinião torna a mistura mais fraca devido à absorção mais intensa e rápida do gelo. Já nos bares de coquetelaria mais premium o preparo no copo (método montado) é o mais utilizado.

Em São Paulo, os bares mais tradicionais e renomados se utilizam da técnica de preparo no copo. Mas também há locais que optam por servir batida na coqueteleira. Na minha opinião com o método clássico o drink permanece mais autêntico quanto ao seu sabor e apresentação. Quando batemos o limão na coqueteleira, por exemplo, este contato com o metal libera o amargo da fruta presente na sua casca.

Um dos bares que utilizam esta técnica e onde considero as caipirinhas muito boas é o Veloso comandado pelo bartender Souza, em São Paulo.

O IBA – International Bartenders Association tem a caipirinha de limão publicada no seu catálogo de drink clássico, ou seja uma bebida que é compartilhada há anos com o mundo inteiro.

Veja a receita clássica publicada no site IBA:

 Caipirinha (Longdrink)

  • 5 cl Cachaça
  • 1/2 Fresh lime (4 wedges)
  • 2 teaspoons sugar
  • Place lime and sugar in an old fashioned glass and muddle. Fill glass with ice and Cachaça.

A nossa tradicional caipirinha é feita com quatro ingredientes básicos: limão, açúcar, cachaça e gelo. Depois de praticar a de limão, podemos incrementar as próximas com misturas como : Uva verde, lishia e morango ou limão siciliano, tangerina e lishia dentre tantas outras combinaçõe.

O mais bacana é encontrar a sua mistura preferida, ou a de um amigo, e surpreendê-lo ao chegar à sua casa e oferecer uma feita exclusivamente para ele.

Escrevo aqui a minha receita clássica. Com dicas do meu pai Leo que me inspirou a gostar de coquetelaria.

Sugestão de marcas de bebidas
Opções de cachaça: Seleta salinas, Saliboa salinas, Espírito de Minas, Maria Isabel, Leblon….

Ferramentas de preparo
– Copo old fashioned (de vidro baixo com forma cônica onde o aro superior maior que aro inferior), para as de limão ou
– Pilão (amassador)
– Colher bailarina (forma longa de cabeça pequena)
– Tábua de cozinha
– Faca

Modalidade: montado (preparado e servido no próprio copo)
Categoria: long drink
Finalidade: refrescante

Ingredientes
– 1 limão tahiti fresco (os limões já um pouco envelhecidos trarão um amargo indesejável)
– 1 + 1/2 colher de sobremesa de açúcar
– Gelo em cubos

Modo de preparo
– Numa tábua cortar o limão ao meio, retirar o miolo branco (parte fibrosa) das duas metades obtendo quatro partes
– Colocar tudo no copo e acrescentar o açúcar
– Pegar um pilão (de madeira ou de plástico) e pressionar a fruta junto ao açúcar “de cima para baixo” sem “massacrar” o limão rsss. Sentir que o suco ficou completamente misturado ao açúcar. Aqui é onde a sua caipirinha fará a diferença. Muitos dos restaurantes e bares não se preocupam com esta fase de preparo. Acrescentar os cubos de gelo (gosto de colocar pedras maiores por baixo e um pouco mais quebradas e menores por cima – para diluirem mais rápido) até atingir a borda do copo
– Despejar a cachaça até cobrir o gelo (com o tempo você saberá qual é a sua medida de teor alcoólico ideal)
– Pegar uma colher bailarina e mexer a mistura no próprio copo para que o açúcar se misture com a cachaça
– Para decorar pode acrescentar uma rodela bonita de limão e um misturador

Pronto, agora é só beber!

Dica
No caso de não usar limão ou seja para frutas mais doces pode ser usado menos açúcar. Depois de anos experimentando drinks pelo Brasil e pelo mundo, quando tomo uma boa caiprinha, não a troco por nada.

BAR VELOSO
Rua Conceição Veloso, 54
Vila Mariana, São Paulo
Telefone: (11) 5572.0254

 

Contemporary Classics

arquiteta, cenógrafa e blogueira de coquetelaria

Juliana Raimo presta consultoria em coquetelaria para veículos de comunicação, desenvolve cardápios de drinks conceituais junto a bartenders convidados para eventos e presta consultoria para restaurantes na conceituação e realização de cartas de drinks. Realiza também festas temáticas que unem a coquetelaria, gastronomia, arte e música. Já escreveu para mídias como Revista da Gol, Prazeres da Mesa, site Dedo de Moça, site B-Coolt entre outros. Desde 2009, assina a coluna drinkme no blog Gastronomix. Com mais de 300 artigos publicados, fala do universo dos coquetéis e convida o leigo a aprender a arte de preparar e apreciar um bom drink. Atualmente, realiza degustações de drinks por toda a cidade e leva ao leitor dicas de onde ir, quais bartenders procurar e o que beber em São Paulo e pelas cidades que passa.

Deixe um Comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.